2015-01-21

Crónicas numa Língua de Sal: Abrolhos

07/01/2015, Parque Nacional Marinho de Abrolhos, aqui aportámos ontem após termos velejado por dois dias e duas noites a partir de Ilhéus. Junto à área da reserva o fundo do mar passa de dois ou três mil metros para menos de 50 m de uma forma abrupta o que o torna muito agitado nesta zona de transição, com vagas de 3m e curtas, onde em águas profundas essas vagas eram de cerca de 1m.
Bem em frente de Caravelas, no continente Brasileiro a 35 ML (65 Km) de distância, o arquipélago de Abrolhos é formado por 5 ilhas das quais só 2 recebem visitas guiadas por pessoal do parque. Embora as ilhas por si já sejam motivo de beleza, nestas ilhas nidificam várias espécies residentes que são o obotá branco e o castanho, a fragata, e a grazina, podendo-se visitar a ilha Siriba, onde os obotás brancos nidificam, chocando um ou dois ovos que irão dar origem a uma única cria, a mais forte pois a outra será abandonada. A cria sobrevivente será ensinada nos dois primeiros meses de vida a tudo o que necessita por seus pais, que então os entregam à natureza , (e eu a pensar que alguns elementos da espécie humana demoram por vezes 30 anos até que os pais os entreguem à natureza).
Mas a grande razão de ser desta reserva são os recifes em que Abrolhos é o maior parque do Atlântico Sul e abrange uma área superior a 91 000ha. Sendo uma enorme maternidade para animais marinhos de todos os tipos em que talvez a espécie mais emblemática seja a baleia Jubarte pelos seus 16 m de comprimento e 40 tons de peso que aqui vem copular, parir e amamentar os filhotes antes de regressar à Antártida, passando neste arquipélago de Julho a Novembro.
Como se tudo o que foi contado anteriormente não chegasse, o pessoal da ilha, tanto militares como pertencentes à reserva são bem acolhedores tendo-nos guiado na visita à ilha Siriba e à ilha de Santa Barbara onde se encontra um farol de 1851 ainda do tempo do Imperador Pedro II que se faz ver a 51 ML de distância para os marinheiros de 'olhos abertos'. Esta é a ilha em que habita a guarnição militar e os zeladores do parque.
Amanhã está previsto fazer rumo a Vitoria, cidade a cerca de 170 ML ou dia e meio de distância. Para todos saudades.