Crónicas numa Língua de Sal

Um dia nas Selvagens
Tínhamos ancorado no dia anterior após 3 tentativas para encontrar um local em que a âncora se fixasse bem ao fundo de rocha. Encontrado o local seguro e após um descanso merecido de uma noite sem ser interrompida todas as 3 horas por quartos de leme, acordámos cheios de energia.
[continua]
Um passeio a Stº Antão
Hoje é domingo e tomámos o ferry para Stº Antão. É cedo 08h e o primeiro barco, o mais barato, vai com muita gente, pessoas que regressam a casa de longas jornadas e turistas, muitos turistas de todas as idades. Mais franceses que alemães, e mais de outras nacionalidades que portugueses. Toda a gente equipada para caminhar de botas e paus, carregando pesadas máquinas de fotografar.
[continua]
Tarrafal, S Nicolau
Ontem fizemos o trajeto entre as ilhas de S. Vicente e S. Nicolau. Foram 13 horas de vento forte à bolina, que além de nos obrigarem a várias manobras de vela, nos danificaram a genoa. Mas Tarrafal de S. Nicolau era uma paragem obrigatória, pois tínhamos o compromisso de deixar uma placa de homenagem a um velho republicano, Alípio das Neves, que nestas terras esteve deportado por SER o que era num tempo em que era proibido ser-se o que se era.
[continua]
O estandarte dos 8 Séculos já flutua na Ilha de Santiago
Ontem fizemos o trajeto entre Tarrafal – S. Nicolau e Tarrafal –Santiago, saímos pelas 14H e chegámos pelas 06H do dia seguinte. O trajeto foi feito com ventos de 15 nós de través a ¾ e por isso foi mais rápido que o previsto. Tudo a funcionar perfeitamente a bordo. [continua]
Uma visita à Cidade da Praia
Eram 08H e apanhámos o transporte, uma Toyota Hiace que leva as pessoas até Praia. Quando entrei na carrinha pensei que seguiria para Praia de imediato, mas como a carrinha ainda não estava cheia, andámos mais ½ hora às voltas no Tarrafal a procurar passageiros até que não coubesse mais ninguém na carrinha. [continua]
Um sonar chamado Nisulino
14-11-2014 – Estamos fundeados em Tarrafal – Santiago, e enquanto estamos fundeados, vamos observando muito da vida do mar dos locais. Foi assim que surgiu esta pequena história.
[continua]
Fernando Noronha
02-12-2014 – Terça feira - Saímos hoje de Fernando Noronha. Estamos de facto noutro país. No Porto de St.º António onde chegámos dois dias antes e onde havia uma praia, por ser domingo, toda a gente estava sentada em cadeiras e mesas na areia comendo, bebendo e conversando.
[continua]
A Zona de Convergência Intertropical (Para Navegadores)
A Zona de Convergência Intertropical é a temível área junto ao Equador onde os navegadores de então chegavam a ficar por um mês e mais encalmados sem terem vento para se livrarem daquela área. Esta área não é estável e varia de acordo com as longitudes e com as condições atmosféricas diárias. É possível vê-la através duma carta meteorológica abrangente para a área. Quando eu aí passei fi-lo numa longitude entre 26ºW e 26,5ºW para uma latitude de 05ºN. No entanto quando da minha travessia esta zona estava entre as latitudes 08N e 05N.
[continua]
Recife
Foi aqui o primeiro ponto que tocámos no continente brasileiro, como seguimos diretamente para uma marina com um sistema de segurança como só os brasileiros sabem fazer, ficámos com a ideia de estar num aquartelamento em território inimigo. No entanto quando começámos a sair verificámos que a população é afável, adora ajudar e é de uma alegria espantosa. Mas também vimos grupos de pessoas que habitam no passeio.
[continua]
Macaé
19-12-2014 – A Expedição Língua de Sal fez-se ao mar ontem pela manhã com uma tripulação constituída por José Viegas e Helenita Ferrandini. O Jolie Brise levantou ferro rumo a Macaé – 110 milhas a sul de Recife. As quase duas semanas em que estivemos ancorados em Recife, deixaram algumas marcas, [...]
[continua]
Um passeio a Olinda
Olinda é uma cidade a cerca de 10 Km de Recife e pela sua proximidade poder-se-ia pensar que em pouco se distinguiriam. Assim não é. Olinda não tem arranha céus e isso faz uma grande diferença pois permite que a cidade antiga tenha uma maior visibilidade.
[continua]
Abrolhos
07/01/2015, Parque Nacional Marinho de Abrolhos, aqui aportámos ontem após termos velejado por dois dias e duas noites a partir de Ilhéus. Junto à área da reserva o fundo do mar passa de dois ou três mil metros para menos de 50 m de uma forma abrupta o que o torna muito agitado nesta zona de transição, com vagas de 3m e curtas, onde em águas profundas essas vagas eram de cerca de 1m.
[continua]
Búzios
Depois de Vitória foi Búzios onde ficámos 2 dias. Búzios é uma pequena vila turística junto ao cabo de Búzios que nos anos 60 recebeu a visita de Brigite Bardot e por isso ficou famosa e na moda. Claro que é uma região muito bonita de costa recortada e cheia de bonitas praias e ancoradouros.
[continua]